05 setembro 2006

Segunda visita a Vila Flor

No dia 4 de Setembro voltámos a Vila Flor. Digo voltámos porque desta vez foi a família toda, Eulália, Rafael, António e eu.
Apesar de todas as peripécias que têm acompanhado o concurso de professores, a nossa vontade realizou-se e vamos poder manter-nos juntos em Vila Flor (assim esperamos).
Depois da reunião da manhã, mais um passeio pelas ruas da vila a pé (apesar do calor insuportável).
Visitámos velhos conhecidos, a igreja o Fórum (é assim que se chama?) e a rua principal. Procurámos um restaurante novo mas alguns estão encerrados para férias e acabámos por ter que optar pelo Tony. Não tínhamos boas recordações deste restaurante. Afinal as coisas não mudaram assim tanto... saímos do restaurantes descontentes com a comida e com o serviço.
Ao início da tarde aproveitei para mostrar a Escola EB2,3/S ao Rafael uma vez que será esta que irá frequentar no próximo ano.
Sentámo-nos à sombra junto ao pavilhão B. Como as escolas são tranquilas! Sempre gostei de apreciar a vila das salas do 2.ºandar. Um pouco como os alunos, por vezes o meu espírito passava voando pelas janelas e planava sobre a vila. Como será este ano?
Depois de despachados da escola procurámos uma casa/apartamento para alugar. Vimos várias alternativas boas mas bastante dispendiosas e nada ficou decidido.
Voltámos a casa já tarde. O António dormiu os 130 quilómetros percorridos. O cansaço era muito, também tivemos que nos levantar cedo para fazermos a viagem.

2 comentários:

Li Malheiro disse...

A transparência que se sente na foto das torres ao fundo è tal que nos dá a sensaçãi de estar dentro de um mundo de cristal que nos envolve e o nosso olhar espraia-se no horizonte limitado, mas infinito da foto.
Eu sei que tú és eximio caçador de momentos, tens o olhar atento e náo deixas passar uma oportunidade.
E a terceira visita? quando acontece?
Um abraço.
Li Malheiro

Xo_oX disse...

A terceira visita já está aí...
Agora já não são visitas. É mesmo o dia a dia que espero tenha também muita coisa boa, muita descoberta e redescoberta.
A escola não é o paraíso mas tem janelas de onde posso ver ao longe.