17 fevereiro 2007

Benlhevai

No dia catorze de Fevereiro parti para uma visita a Benlhevai. A ideia era ir até Benlhevai, descer a Santa Comba, seguir até Lodões e subir até Vila Flor passando por Roios.


O dia estava lindo, algo frio, mas com um céu daqueles que apetece fotografar de cada vez que uma nuvem aparece recortada contra o azul.
Decidi experimentar um percurso alternativo e comecei a subir em direcção ao Facho deixando Vila Flor pela Rua de Angola. Rapidamente se atingem os 700 metros de altitude, com uma maravilhosa vista sobre Vila Flor e toda a área da Vilariça até quase à Foz do Sabor.

Foi demorada a subida. A cada metro o céu parecia mais azul! Por fim comecei a descer até chegar ao local onde se faz descargas de entulho. Apesar do lixo de todo o género a vista para o Vale da Vilariça, mais além de Roios é bonita. Mais à frente encontrei a estrada N213. Não demorei muito a voltar a parar! Encontrei algumas amendoeiras em flor, próximo do Cabeço dos Gaviões, na encosta para Meireles e por ali fiquei mais entusiasmado do que um menino com um brinquedo novo.

Apressado pelo relógio, arranquei e só parei perto do cruzamento para Vale Frechoso. A exposição desta aldeia é boa e tenho feito bastantes fotografias panorâmicas.

Foi desta vez que subi à Penha do Corvo! É um local de fácil acesso. Há um caminho, depois de subir a encosta e antes de começar a descer para Benlhevai. Este pico está a 713 metros de altitude a vale bem a pena o esforço: avista-se o vale do Rio Tua desde o Cachão até quase a Mirandela; têm-se a Serra de Bornes mesmo ali pertinho; avistam-se as serras junto a Mogadouro e ainda se tem uma bela vista do Vale da Vilariça.

Segui até Benlhevai onde estive a 24 de Janeiro. Percorri as principais ruas da aldeia demorando-me mais na Rua do Poço Andrez e Largo 1.º de Maio, onde há uma bonita fonte, a Fonte de Baixo. A igreja estava fechada, aproveitei para entrar num café e pedir uma garrafa de água. Ali ao lado está a Casa Museu da Família Vila Real, rodeada de antiguidades e a convidar a uma visita. Não tinha tempo disponível, acredito que quem junta tantas antiguidades tem também muitas histórias para contar e eu não dispunha de muito tempo para as ouvir. Vou voltar lá para as ouvir.

Depois de subir à Rua da Fonte Nova onde apreciei a Fonte da de Cima, preparei-me para partir em direcção a Santa Comba da Vilariça. Fiquei a saber no café que até há uma estrada alcatroada, embora estreita e com grande declive. De facto, o percurso é muito agradável. Os sobreiros emprestam à paisagem muito verde e muita frescura.

À chegada a Santa Comba pode admirá-la de um ângulo que desconhecia. Ainda percorri algumas ruas e cheguei à conclusão que na primeira visita que lhe fiz a deixei muito por descobrir. Os últimos raios de sol já passavam sobre as casas e projectavam-se na encosta do outro lado do vale. Tinha que me apressar.
Desisti de subir de Lodões até Roios. Mesmo com algum receio, segui até Sampaio e subi pela estrada N608. Além do declive acentuado é uma estrada muito perigosa a evitar. É estreita e tem muito trânsito. Penso que cheguei mais rápido a Vila Flor do que se tivesse seguido por Roios.

Foi um Grande passeio, senti-me muito satisfeito e as fotografias do dia estão fantásticas.

Quilómetros percorridos neste percurso: 36
Total de quilómetros de bicicleta: 539
Total de fotografias: 8151



5 comentários:

Paulo disse...

Gostei muito de ver a sua página e Benlhevai, minha terra, também dá muita beleza à sua página.

Poirier R. disse...

Sou portugues e transmontano ha 63 anos, vivo em França ha 41. Tenho inveja do que voçe faz... mas continue, o seu 'site' é formidavel!

Antonio M.M.Mota disse...

Caro amigo,
dou-lhe os meus parabéns pela coragem de se ter metido por caminhos pouco procurados e pelas fotos de Benlhevai por mim conhecidas visto ser de là natural
hà setenta e tres anos, sem ter coragem para tal.

um abraço amigo
Antonio m.m. Mota

talie.71 disse...

bravo pour le site mais se serait bien d'avoir plus de photo de Benlhevai ou je passais quelques jours durant mes vacances d'été chez ma grand mère quand j'étais petite avec mes parents et mon frère.
VIVA BENLHEVAI !!!

Tó Medeiros disse...

Parabéns pelo seu trabalho!
Sou natural e vou com frequência a Benlhevai.
Como disse a talie.71, também tenho excelentes recordações da minha juventude em Benlhevai...
Férias de Verão...
As festas...
O Natal...
A fogueira do Natal...
A Páscoa...
Etc,etc...

Obrigado por divulgar esta maravilha transmontana...

Um grande Abraço Amigo

Tó Medeiros