05 fevereiro 2007

Samões - Carvalho de Egas - Seixo de Manhoses

O último passeio foi no dia 3 de Fevereiro. Não estava um dia muito convidativo, nem para andar de bicicleta, nem para tirar fotografias, mas já aprendi a passar por cima dessas questões.
Parece-me que a única localidade do concelho de Vila Flor onde ainda não estive é Macedinho, essa será a próxima etapa. Entretanto, vamos esperando que o clima melhore, quem sabe até que venha um pouco de neve, para dar novos e originais motivos para fotografar.
Parti em direcção a Samões, dia 3 de Fevereiro é dia de S. Brás, padroeiro desta simpática terra. A animação já tinha começado. Acompanhei a Fanfarra dos Bombeiros de S. João da Pesqueira pelas ruas da aldeia. A igreja, mesmo com vigilância electrónica, estava fechada e não pude ver S. Brás! Já se montava o conjunto musical para o arraial que se adivinhava “quente”. Não me pareceu o melhor dia para fotografar a aldeia. Havia mais carros estacionados do que o normal, o que pioraria as fotografias.
Segui para Carvalho de Egas. Subi a Rua da Igreja. A pequena igreja estava fechada. Alegrou-me a bonita melodia do seu relógio! Nunca tinha ouvido coisa mais bonita! Ladeei a igreja e continuei até à escola de 1.ºCiclo. Está encerrada, mas as campainhas teimam em florir antecipando a Primavera e emprestando alguma vida ao local.
Desci à estrada N214 pela Rua da Escola para voltar a deixá-la pela Rua do Centro. Há muitas casas abandonadas e em ruínas. Descobri a Capela de Nossa Senhora do Rosário e continuei pela Rua dos Bons Caminhos até à Rua da Estalagem Nova que segue para o Seixo.
Poucos minutos depois estava no Santuário de Santa Cecília. Não está muito diferente desde a última vez que por aqui estive, há quase uma década atrás, curiosamente a fotografar o casamento de um familiar.
Continuei para o Seixo de Manhoses. Pouco antes de lá chegar cortei à direita e segui pelo caminho que indica a Barragem Valtorno-Mourão. Ainda segui esse caminho por algum tempo, mas, olhando o relógio, achei melhor voltar para trás. Já não tinha tempo para ir até à barragem.
Desci até ao Seixo de Manhoses. À entrada, cortei à direita pela Rua Principal, e segui depois pelo Largo Senhor dos Aflitos até à capela. Depois de passar o Lar de Santa Bárbara, encontrei no Largo de Santo António um bom grupo de idosos a discutir política. Não é muito frequente encontrar tanta gente nas nossas aldeias!
Subi à igreja. Como quase todas as outras, estava fechada! Aproveitei para fazer algumas fotografias panorâmicas da aldeia. As chaminés já cuspiam fumo, a noite começava a estender o seu manto. Encontrei uma fonte medieval que penso tratar-se da Fonte do Sangrinho. O local está arranjado e da fonte jorra água em grande quantidade.

Continuei a subir a aldeia e tomei a estreita estrada que conduz à Barragem do Peneireiro e às Piscinas Municipais. Já com o fresco da noite a bater-me na cara, pedalei até casa onde cheguei bastante descansado, comparado com os passeios anteriores.

a 1.ª e a 2.ª fotografias são em Samões
a 3.ª, 4.ª, 5.ª e 6.º São em Carvalho de Egas
a 7.º é a Barragem Mourão-Valtorno
A 8.ª é uma panorâmica do Seixo de Manhoses.

Quilómetros percorridos neste percurso: 25
Total de quilómetros de bicicleta: 450
Total de fotografias: 6740

2 comentários:

Esmeralda disse...

Olá
(uma vista-de-olhos e...)
...olha as cores dos três grandes (clubes), cá do nosso rectângulozinho, à beira mar plantado...
Abraço
EL

Anónimo disse...

Olá sou a Márcia
Foi com enorme felicidade que descobri este blogue e nele as fotografias da mais bonita terra deste Portugal-Samões, e olhem que eu sei o que digo, pois estou no chamado jardim de Portugal-a Madeira!
É com saudades que vejo as ruas da minha aldeia! Muito obrigado pelas imagens! Fizeram-me ganhar força para mais um fim de senama de trabalho, nesta Ilha