06 novembro 2008

Entre Samões e Vilas Boas

Chegaram os dias de nevoeiro e frio. Infelizmente a chuva insiste em não aparecer e os charcos que teimavam no fundo das charcas e poços já se esvaíram. Não há sequer humidade para que os cogumelos possam romper a estreita camada de terra que os separa da superfície! A desolação tomou conta das vinhas que pouco a pouco se despem. A humidade do ar desliza para a Vilariça, criando um manto branco e permitindo-nos ver o azul do céu, nem que seja a curtos espaços.
Pelo fresco da tarde, saí de bicicleta em direcção a Samões.
O objectivo era esticar os músculos e arejar a mente do ambiente pouco saudável que se vive na escola. É que o nevoeiro há muito que se instalou, roubou-nos o calor, o entusiasmo, faz-nos sentir vazios, meros instrumentos de propaganda estatística.
Entrei em Samões por detrás da igreja e desci a Rua do Salgueiral. Não perdi muito tempo, pretendia descer em direcção ao ribeiro das Olgas. O percurso que segui não era propriamente aquele que tinha planeado, mas acabei por seguir na direcção pretendida. Quando atingi a estrada de Freixiel, a tarde já estava muito cinzenta, não permitindo mais fotografias. Concentrei-me no pedal, contornei a pedreira, seguindo em direcção a Vilas Boas. A tarde já ia adiantada e achei que seria melhor cortar ligeiramente à direita, acabando por não ir a Vilas Boas. Atingi a estrada muito perto do Campo de Futebol de Vilas Boas, junto ao cruzamento que dá para o Santuário de Nossa Senhora da Assunção.
Aproveitei a existência de alguns pinhais para tentar encontrar cogumelos mas a busca foi em vão. Não consegui encontrar um só, para a fotografia!
Segui por um caminho completamente desconhecido para mim, acabando por ir parar numa perigosa descida na estrada que segue para Meireles. A tarde estava no fim e caíram algumas desgarradas gotas de água. Estava na hora de regressar a casa.



Quilómetros percorridos em BTT: 20
Total de quilómetros de bicicleta: 1897

2 comentários:

Anónimo disse...

Bom passeio e belas fotografias!!!
Aníbal, continue a mostrar-nos coisas lindas que, aqui, não temos possibilidades de apreciar...
Cumprimentos
Anita

JORGE disse...

Isso é que é pedalar!

Pois o tempo não está lá muito bom para a fotografia.


Cumprimentos


Jorge Delfim