01 junho 2008

Crianças de hoje


Há muitas lágrimas! Há choro de crianças
Órfãs de Mãe e também de Pai...
Há fome e sede... só se ouvem ais!
Há muitas lágrimas, há choros de crianças.

Há miséria triste a rir por todos cantos,
Há tristeza e mágoa, há muita amargura.
Há crianças nuas a pedirem mantos,
Existem muitas almas a reclamar doçura.

Há crianças pobres, crianças miseráveis,
Tristes botõezinhos de esbelta beleza...
Cheiinhas de fome, não encontram mesa
Essas crianças loiras - quase insaciáveis.

Brancas flores do campo, prados de boninas,
Lindas rosas brancas de corola a abrir...
Há muitas crianças que podiam rir
Se houvesse amantes dessas criancinhas.

Poema escrito por J. Nascimento Fonseca, publicado no jornal Esperança em Maio de 1961.
O poema era "Dedicado a todas as crianças infelizes, especialmente às vítimas pelo terror em Angola".
A fotografia mostra alguns dos elementos mais jovens do Grupo Folclórico de Freixiel.

4 comentários:

Anónimo disse...

Aníbal,
Permita- me que o trate assim, pois tem a idade da minha filha...
Tinha pensado escrever-lhe hoje, para lhe perguntar o que era feito de si,pois não dizia nada, há algum tempo. Consultei o seu Blog e fiquei feliz por ver que publicou mais um poema do meu marido.
Confesso que não o conhecia e gostei muito que tivesse escolhido este "Dia da Criança" para o dar a conhecer. As minhas filhas também ficaram emocionadas, e os meus netos gostaram muito da prenda...
Obrigada por tudo e continue...
Anita
Vila Real,1 de Junho de 2008

Xo_oX disse...

Obrigado pelas palavras simpáticas.
Também gostei muito deste poema. Embora seja bastante triste, infelizmente, tal como na altura, esta é a realidade de muitas crianças, enquanto outras se estragam por não saberem o que fazer, ou o que comer, com tanto que têm.
Cumprimentos
Aníbal

Anónimo disse...

Caro Aníbal,
Como sempre,oportuno e belo,...o momento e o poema.
Só a tua enorme sensibilidade,para nos trazer á terra,das coisas simples,sim,mas quantas vezes dolorosas.
Abraço amigo.
(aproveito,se mo permites, para enviar saudações de amizade,á professora D.Anita e familia-ai que saudades desse tempo da minha infância na sua escolinha...)
Rui Guerra

Anónimo disse...

Olá, Rui:
Que saudades dos meus alunos e do tempo que passei com todos vós!!!
Temos que marcar um encontro... Eu estou sempre disponível. Aproveitamos e convidamos o Aníbal, pois ele permite-nos estes contactos à distância.
Aprofessora e amiga
Anita