09 maio 2012

Retratos de Vila Flor - VIII Santa Comba da Vilariça

Parte da chaminé da Casa dos Ochoas
 SITUAÇÃO: A 13 Km. de Vila Flor, à beira da estrada Ponte da  Junqueira - Macedo - Bragança.

ECONOMIA E PROGRESSO: Vive-se da agricultura e do comércio. Produção principal - o azeite (7000 almudes anuais e por média), cinco lagares em funcionamento. Muitíssima cortiça (4000 arrobas). Muito vinho, abundante fruta (laranja, figo, pêssego, etc.). Posto de correios com toda a espécie de operações realizáveis. Telefone, electricidade (Passa de cem o número de instalações particulares), água em abundância, se bem que mal canalizada.

 EDUCAÇÃO: Seis centenas de pessoas ali vivem, já sangradas pela emigração. Ciclo complementar. Instrução Primária garantida.

RELIGIÃO: Cristã, católica. Digno de admiração é o Santo Cristo, cruzeiro famoso, de origem romana. Igreja velhinha, estilo renascentista.

ACESSOS: Maus. As artérias precisam de renovação. A estrada camarária que liga para o Cachão, por Vale Frechoso, é má no piso, nas curvas e nos desfiladeiros agrestes. Pela sua utilidade, merece arranjo conveniente. A estrada do povoado podia estar com outra apresentação.

URGÊNCIA: Saneamento, ruas melhores, estrada arranjada e concessão de transportes, já pedidos há tanto tempo!.
Igreja Matriz de Santa Comba da Vilariça

N. FONSECA*
Texto publicado no Mensageiro de Bragança, a 26-03-1971

*José do Nascimento Fonseca nasceu no Nabo, a 22-12-1940.

2 comentários:

Transmontana disse...

Bom dia, Aníbal!

Foi grande a surpresa de ver publicado, no seu blog, um trabalho de meu falecido marido! Pensei que já tinha esgotado o espólio deixado por ele...
Felizmente, muitas das carências por ele apontadas, já foram resolvidas, e o nosso concelho possui coisas que, naquela altura, seriam inimagináveis!

Um abraço amigo.

Aníbal Gonçalves disse...

Cara amiga Transmontana
Estou certo que muita coisa haverá para publicar (veja-se que este é o VIII de uma série publicada no mesmo jornal), mas infelizmente a recolha é morosa e incerta, nas muitas pastas que o museu de Vila Flor guarda.
Terei todo o prazer em fazer novas publicações no futuro.
Sabe que este blogue é feito com gosto e prazer e há pessoas e palavras que merecem ser lembradas.
Cumprimentos
Aníbal