20 dezembro 2006

Alagoa, lá no alto...

Hoje, dia de mau tempo, de vagas de frio, de alerta de todas as cores, o dia esteve magnífico. Passei toda a manhã a olhar ao longe e a pensar – hoje tenho que ir dar um passeio.
Saí pouco depois das 2 da tarde. Como cheguei à conclusão que, durante o Inverno, é preferível evitar o Vale da Vilariça, decidi ir até Alagoa. Outra das razões foi porque, em conversa com alguns amigos, soube que Alagoa era o ponto mais alto do concelho de Vila Flor. Na verdade não está muito distante de Fonte Longa que é o ponto mais alto de Carrazeda de Ansiães.
Eu acreditava que o ponto mais elevado seria nos montes a Norte do Santuário da Nossa Senhora da Assunção, o Monte de S. Cristóvão ou a Serra do Faro, mas estes têm de altitude respectivamente 792m e 822m. Alagoa atinge os 852 metros na Capela de Nossa Senhora de Fátima.
Chegar a Alagoa não foi difícil. Depois de Vale de Torno (Vale Torno ou Valtorno?) subi à igreja matriz. Trata-se de uma igreja que apoiava os peregrinos que se deslocavam para Santiago de Compostela e onde se faz uma grande festa a Nossa Senhora do Castanheiro.
Continuei a subir até ao Cruzeiro dividindo a minha atenção por duas coisas: por um lado ia olhando para trás e admirando Valtorno, a sua exposição ao Sol, sempre a convidar à fotografia, por outro lado, olhava a grande extensão de área ardida que se estendia até perder de vista. Recordo que num dos dias, em Setembro, quando vim pela primeira vez a Vila Flor, a comunicação social falou de um grande incêndio que lavrava precisamente neste local. Foi uma grande perca.
Cheguei a Alagoa. Do lado direito o cemitério, do lado esquerdo a Escola Primária, muito bem orientada ao sol, com aquecimento central, um grande recinto à volta e com erva de metro no recinto. Infelizmente aqui já não aprendem nem brincam crianças. Mais à frente encontrei um nicho, muito interessante, com a inscrição “Promessa Nelson Trigo 1.1.1995”. Lá dentro está uma Senhora com um menino ao colo, que não consegui identificar.
Percorri as principais ruas da aldeia: Rua do Fundo do Povo, Rua dos Olmos, Rua da Capela, Rua Principal e segui pela Rua dos Cabeços. Cheguei ao Santuário da Nossa Senhora de Fátima com o campo de futebol ali ao lado. Aproveitei para passear os olhos por tudo à minha volta. Ali perto, Pena Fria e Fonte Longa mais acima. Mais longe Vilarinho da Castanheira com o seu Santuário de Nossa Senhora da Assunção. Mais para poente pareceu-me ver a silhueta do Castelo de Ansiães, em Lavandeira, não estou certo de que era mesmo. Para nascente, a Serra do Reborredo, sempre presente e, continuando a volta, a Serra de Bornes, que parece observar-me em todos os meus passeios.
Desci de novo à aldeia. De vagar fui-me aproximando da saída. Depois de um último olhar em que vi praticamente a aldeia recortada no céu com o Sol que me ofuscava, segui rapidamente até Mourão. Um pouco à sorte, atrás da igreja, virei à direita. Segui algumas centenas de metros e acabei por encontrar o cemitério. Mais alguns metros e encontrei uma paisagem magnífica. Lá ao fundo a Barragem Valtorno-Morão. Mais acima o Seixo de Manhoses recebia os últimos raios de Sol.
A temperatura descia rapidamente. Voltei à aldeia e desci rapidamente até Valtorno. De vez em quando tinha que esfregar a cara, o frio já era muito. Cheguei a Vila Flor ao cair da noite.

Quilómetros percorridos: 32
Total de quilómetros: 227
Total de fotografias: 3727

Nota: Na fotografia da igreja apaguei mais de uma dezena de fios eléctricos e alguns postes. Ficou muito mais agradável.

10 comentários:

Fernando_Vilarinho disse...

Viva!
Parabéns pelos seus vários sites.

Muito bem concebidos.

gostei muito do de Miranda, até pq já lá dei aulas em 2001/02, na Secundária, e fartei-me de percorrer aquilo.
fazia desporto TODOS os dias. e tb jogava futebol e ténis no parque de jogos, onde havia muitos brasileiros. depois de uma corridinha pelo Parque Natural, é claro.

Boas Festas e bom Ano 2007!

fernando_vilarinho

Anabela disse...

Muito boa tarde! Em primeiro gostaria de lhe dar dar os parabens pelo seu blog. O meu nome é Anabela Roios e sou de Alagoa/Vila flor,gostei muito de ver a minha pequena aldeia. Já agora permita-me dar uma informação, a senhora com o menino nos braços, promessa de Nelson Trigo é a Nossa Sr dos Bons Caminhos. Com os melhores cumprimentos e certa de ver mais blogs seus,
Anabela Roios

Xo_oX disse...

Ao Fernando Vilarinho digo: morámos mesmo por cima dos campos de ténis, na Terronha. Só mais tarde é que comecei a fazer passeios pelas lindas terra de Miranda.

Para a Anabela
Se é a Nossa Senhora dos Bons Caminhos é da protecção dela que eu preciso. Muitos quilómetros a pé, de bicicleta, sozinho, é muito arriscado. Já voltei lá de carro, a mostrar a pequena aldeia à minha família. Prometo voltar a Alagoa mais lá par o Verão a paisagem terá outros pontos de interesse.

Igor Trigo disse...

Muito boa tarde.
O meu nome e Igor Trigo e o meu pai é natural da alagoa.Gostei muito de ver as fotos desta pequena aldeia no blog
mas gostava de ter mais promenores, pelos cunhecimentos que tenho penso que esta aldeia tem uma historia muito rica porque como começa por al penso ser muito antiga como por exemplo a zona do castelo, a ouçeira, arroçadas, gostaria de saber qual o significado destes nomes.

Anónimo disse...

sem palavras???????? e comovido bravo pelo teu exelente trabalho muinto bem reconhecido por mim sou imigrante na suiça e sou de alagoa e por mero acaso encontrei o teu blog e ao ver imagens da minha aldeia da saudades de velhos tempos..... muinto obrigado ANIBAL pelo teu trabalho comprimentos bruno duarte

Anónimo disse...

Boa tarde,

Na minha infancia, fiz muitas ferias em Alagoa. è relamente uma aldeia pequenina, mas muito agradevel.

Anónimo disse...

Sou de Alagoa, imigrante no Brasil,voces nao imaginam a minha alegria ao ver o meu pedacinho de chao,vou fazer um pedido ao Anibal para voltar la e nos trazer mais novidades.
Abraços a todos meus amigos que la moram e beijos para minha mae amada.

Anónimo disse...

Maravilhoso.Parabéns,descobri por acaso este belo trabalho.
O meu Pai nasceu na Alagoa,foi amante da sua terra,para ele não havia terra mais bonita.
As minhas férias grandes e dos meus irmãos eram passadas nessa Bela Aldeia,que continuo a visitar.
Deve ficar muito feliz quando chega ao fim de um trabalho como este.Agora que descobri este site, fico à espera de mais. O meu muito obrigada.
Nininha

Anónimo disse...

Vou pedir licença para o Sr.Anibal e perguntar para Nininha em qual epoca ela ir passar as ferias na Alagoa, pois talvez a gente se conheça.
Sr.Anibal muito obrigado por este seu trabalho,pois vejo todos os dias porque me ajuda a matar as saudades da minha terra.
Mais uma vez o meu muito obrigado e os meus parabens pelo belissimo trabalho.
Maria da Conceiçao/Alagoa.

Anónimo disse...

Em primeiro gostaria de agradecer a quem fez este blog.
Gosto muito da Alagoa, foi la que o meu pai nasceu e se criou e onde, passo parte das minhas ferias.
Alagoa tem coisas muito bonitas tais como a capela, e o Santo António mas no entanto há uma coisa que esta la mal é a fotografia da aquele senhor que nem tem o nome de António