19 dezembro 2007

Mergulhão-de-crista (Podiceps cristatus)

Uma das coisas que me deu mais prazer fotografar, foi a nidificação de um casal de Mergulhões-de-crista, na Barragem do Peneireiro. Na altura (Junho), decidi não falar no assunto, para não atrair mais visitantes às imediações, prejudicando a reprodução.
O Mergulhão-de-crista (Podiceps cristatus) é um uma pequena ave da família Podicipedidae da ordem Ciconiformes (a que pertence a tão conhecida cegonha). São aves de médio porte e encontram-se espalhados por todos os continentes, ocupando cursos de água e pequenas barragens.
Os mergulhões alimentam-se de peixes, insectos, moluscos e crustáceos, que caçam durante os mergulhos. São sobretudo aves solitárias mas formam casais durante a época de reprodução ou grandes grupos nas alturas de migração.
Já tinha conhecimento que um casal destes mergulhões nidificou na barragem na Primavera de 2006. Mantive-me atento e fiquei todo contente quando soube que um casal (quem sabe se o mesmo do ano passado) foi visto repetidas vezes. A primeira vez que os avistei foi dia 1 de Junho. Ainda procediam ao acabamento do ninho, mas já tinha alguns ovos. Enquanto a fêmea ficava quase todo o tempo no ninho, o macho mergulhava, arrancava do fundo material que transportava para o ninho que foi ficando casa vez maior. Este situava-se muito perto da margem e, mesmo não mostrando muito medo, os pequenos mergulhões não gostavam que ninguém se aproximasse da margem. Quando observados de longe, faziam a sua vida normal, revezando-se no ninho, alimentando, mergulhando aqui e aparecendo depois, a alguns metros de distância. Passei bons momentos observando-os. Estavam muito expostos e eu não quis chamar mais a atenção, divulgando o facto no Blog. Todas as pessoas que praticam desporto com regularidade à volta da Barragem sabiam da existência do ninho, era impossível não o ver. Pelo que soube algumas pessoas menos escrupulosas, até cães levarem para muito próximo do ninho!
Durante vários dias, ao fim da tarde, desloquei-me ao local para verificar se havia alguma evolução. Tinha comprado na altura uma câmara reflex digital, com um zoom de 200mm. Não era muito, mas permitiu-me fazer algumas fotografias sem ter que me aproximar, não interferindo na vida das aves. Além de fotografar os mergulhões, fiz também um bom leque de fotografias à volta da barragem, algumas coloquei-as no Blog.

A última vez que avistei os mergulhões foi no dia 22 de Junho. Quando passei perto do ninho, este tinha sido abandonado. Tinha quatro ovos intactos. Temi o pior. Não se viam os mergulhões por perto, mas pouco depois consegui descobri-los quase no centro da barragem. Tinha muita curiosidade em saber se tinham algum filhote e esperei horas, dentro do carro, esperando que se aproximassem um pouco da margem. Isso nunca aconteceu. Apoiando a objectiva na porta do carro com o vidro aberto, fiz algumas fotografias do casal. Só depois de chegar a casa e observar as fotografias no computador reparei na pequena mancha branca no dorso de um deles. Ampliado a fotografia via-se claramente a cabeça de um filhote. Durante todo o tempo o filhote deslocou-se sobre o dorso dos pais, bem entre as duas asas. Fiquei muito contente, pelo menos um ovo eclodiu! Parece-me que a movimentação de pessoas muito próximo do ninho levou a que o choco não decorresse convenientemente. Pelos vistos o mesmo ocorreu em 2006.
Ainda voltei à barragem nos dias seguintes, mas nunca mais avistei os mergulhões. Não sei o que aconteceu, simplesmente desapareceram. Fiquei com algumas fotografias, não muito boas em termos técnicos, mas que me derem imenso prazer. Aqueles fins-de-tarde em família, à volta da barragem, foram fabulosos.

6 comentários:

euroluso disse...

Não sei bem o que comentar, se as fotos, se o texto, ou se o carinho que o autor das fotos e do texto nutre pela natureza. Esperemos que que os mergulhões voltem para o ano!

Anónimo disse...

Caro Aníbal.
Só mesmo tu,para fazeres essa descrição tão completa de pormenores técnicos,carinho e tamanha preocupação.
Na verdade,em alguns momentos também vivi essas preocupações,porque já assisti a um pouco de tudo,relativamente a esse casal de Mergulhões de Crista.Dado que nidificam há já vários anos,práticamente no mesmo local,deverão ser os mesmos(???).Os ninhos, já foram arrancados por cães, ou devido a uma subida abrupta do nível das águas,etc,encontrando eu nesse ano,2 ou 3 filhotes já mortos,na margem.
Sofri muito com isso e por aceitar,(não deveria)nada poder fazer.Timidamente,comentei com alguém(com poder)dizendo-lhe,que deveria poder fazer-se algo,para proteger a nidificação e choco dessas aves.-(inclusivé dando uma ideia).Mas para alguns Vilaflorenses,quando preocupado com algo e dou uma simples sugestão,sou logo mal entendido.Por isso,cada vez mais, vou-me ficando no silêncio.Por isso te peço,com o teu saber e franqueza,talvez possas,ajudar a prevenir e ultrapassar este problema,já na próxima primavera.Se puder ajudar fálo-ei com muito gosto.Talvez assim,ano após ano,possamos mostrar ás nossas crianças,com aquele exemplo(bem sucedido!)dos Mergulhões-de-Crista,o quanto é bela a natureza.
Um abraço
Rui Guerra

Rosa Carvalho disse...

Eu também os la vi, numa tarde de Agosto e vi miudos a fazerem tiro ao alvo com pedras.
Acho que as autoridades competentes deveriam desenvolver medidas com vista a protecção desta espécie quando nos visita, pois somos brindados com a sua presença e por vezes são mal tratados.

at ento disse...

Estamos por cá para desejar as Boas Festas a este brilhante diário que vamos lendo amiúde, muito se aprende, muito expões caro amigo XO_OX. Longa vida.
Bom Natal para todos os bloguistas que por aqui surjam.
Saudações com amizade.
At Ento

Li Malheiro disse...

Olá.
Já estás de "férias" de Inverno? Pois o frio anda por aí mas os dias tem muito boa luz. Por isso até apetece desejar um BOM NATAL colorido a com alegria, extensivo a todos os visitantes, com a minha amizade.
Li Malheiro
(Andei por aí, 22, mas o contacto que eu tenho de vós não dava linha.
Volto a andar por aí pelo 26.)

Xo_oX disse...

Um bom NATAL para todos. Estou um pouco afastado na Internet, dado que tenho andado à Descoberta de outras paragens, bem no coração do Rio Sabor. Brevemente voltamos às "lides" ditas normais.