11 julho 2008

Homenagem


Oiro em Oiro

Era o sol e era um giestal em flor.
Havia luz a rodos na campina,
Uma orgia fantástica de cor
Que me tomou de pânico a retina.

Do sol doirado, os raios, em 'splendor,
Bombardeavam com poalha fina
As giestas amarelas, e um furor
Se espalhava nos ar's, de luz citrina!

Era oiro no oiro, luz na luz,
Uma batalha insana de rivais:
Giestas - o alvo; o sol - o arcabuz;

Desintegra-se a tinta dos giestais
E a cor entra em meus olhos, sai, reluz,
Enche estes versos e não finda mais!

Soneto de Cabral Adão, publicado no jornal "Notícias de Mirandela".

4 comentários:

Anónimo disse...

Simplesmente magnífica, esta homenagem!!!...
Aníbal, fez um trabalho de se lhe "tirar o chapéu"!!! Muitos parabéns!!!
Cumprimentos
Anita

Xo_oX disse...

D. Anita
A admiração é minha, mas o carinho é de alguém mais próximo de Cabral Adão. Nasceu em Junho, cantou e amou Vila Flor como poucos.
Também ainda tenho alguns poemas "da gaveta" para lembrar outras pessoas integras, com uma escala de valores "fora de moda" para os dias de hoje.

Anónimo disse...

Aníbal
Muitíssimo obrigada por tudo!!!...
Cumprimentos
Anita

Esmeralda disse...

Olá
Este "OIRO" sob um azul de paz
Promove beleza, bem-estar e magia
Curvo-me perante Cabral Adão
Elogio quem exibe: - que mestria!

Como sempre, Obrigada e, PARABÉNS!!!
Abraço
Esmeralda