09 fevereiro 2008

As primeiras flores de amendoeira


O passeio de hoje levou-me a Benlhevai, Trindade, Santa Comba da Vilariça e Lodões. Desejava ver até que ponto as amendoeiras estavam floridas e, dado o entusiasmo que os internautas de Santa Comba têm manifestado, gostava de lhes agradecer, com mais algumas fotografias.
Quando preparava as coisas para a saída, verifiquei que a minha câmara Nikon 4300 não ligava! Esta máquina tem-me acompanhado já alguns anos, fotografou muitos, muitos milhares de imagens, mas não a tenho tratado muito bem. Sobreviveu a carradas de pó no II Rota da Liberdade em BTT (mas com alguns traumatismos), sobreviveu depois a um banho de pó no III Passeio BTT em Carrazeda de Ansiães (já muito abalada), mas parece não querer sobreviver ao enorme banho de água gelada que a afogou no 4.º Passeio de BTT pelas Arribas do Douro, em Miranda do Douro, no passado dia 3. É uma máquina muito pequena, com muita qualidade e com muitas hipóteses criativas uma vez que tudo pode ser regulado manualmente. Peguei na suplente a HP Photosmart E327, sem grandes pretensões, que se tem sentido abandonada na prateleira.

Decidi seguir sempre pela estrada, se me afastasse corria o risco de não ter tempo para fazer a volta planeada.
A primeira paragem aconteceu junto ao cruzamento de Vale Frechoso. Já várias vezes fotografei a pequena capela que está a poucos metros da estrada, virada para o Cachão. Desta vez entrei pelo caminho e fui até ela. Está completamente abandonada, cheia de lixo e com o telhado a ser destruído pouco a pouco. A espessura das paredes parece indicar que a capela já deve existir há muito tempo, mas deve ter sido recuperada recentemente. É pena, tamanho abandono.
A paragem seguinte aconteceu em Benlhevai. Os três pastorinhos estão de novo juntos (durante bastante tempo só estavam lá dois)! Fotografei umas alminhas que estão mesmo junto à estrada e perguntei a alguns habitantes a forma de chegar à capela de Nossa de Senhora do Carrasco. Segui as orientações mas acabei por ir parar ao centro da aldeia. Depois de perguntar de novo, consegui descobrir o caminho e alcancei a capela. Como seria de esperar, estava fechada e pouco há para ver. Espero voltar, noutra altura.
Não voltei à aldeia. Segui em sentido contrário por um caminho ladeado de castanheiros e sobreiros. Este caminho é muito agradável e conduziu-me de novo à estrada nacional, junto à primeira casa da aldeia.
Segui a toda a pressa até à Trindade. Como sempre faço, fui visitar a igreja. Passei algum tempo a tentar fazer alguma fotografia criativa com os arcos das portas. Mesmo voltando muitas vezes ao mesmo local, há sempre formas diferentes de ver as coisas.
À saída para Valbom fui surpreendido pelas primeiras amendoeiras em flor. Já tinha visto algumas flores de amendoeira na estrada do Nabo, mas aqui já havia 3 ou 4 amendoeiras completamente floridas.
Não parei em Valbom, a sombra já cobria quase todas as casas. Mais abaixo encontrei mais uma amendoeira florida perto da estrada. Aproveitei para fazer algumas fotografias, mesmo com condições adversas. Eram quase 5 horas e a luminosidade diminuía a cada minuto.
Pouco depois cheguei a Santa Comba da Vilariça. A minha atenção centrou-se nos gradeamentos e portas de algumas casas mais antigas. Há coisas bonitas, em Santa Comba. Desejei ter melhor equipamento, para poder explorar o tema. Escoava-se a luz e o tempo, parti rapidamente em direcção a Lodões.

Em Lodões tenho que ser cuidadoso, os cães são muito maus e quase sempre correm raivosamente atrás de mim. Atravessei a aldeia procurando alguns motivos de interesse. Vi a capela de Nossa Senhora do Rosário e o solar. Ainda arrisquei algumas fotografias, mas as possibilidades eram poucas.
Subi até Roios onde cheguei já de noite. Bebi uma garrafinha de água e parti para Vila Flor.
As fotografias que tirei não me desagradam, mas a qualidade da cor deixa muito a desejar. Por isso vou arriscar a coloca-las a preto e branco.
Quilómetros deste percurso, em BTT: 45
Total de quilómetros em bicicleta: 1755

2 comentários:

Anónimo disse...

Prof. Aníbal, “você de facto é incrível, com uma visão esplêndida a destacar os pormenores mais belos”.
Vivo, há largos anos, na aldeia de Santa Comba de Vilariça, e eu próprio ainda não tinha reparado em determinados pormenores de uma beleza única, a rotina do dia a dia tira-nos essa qualidade e prazer.
O seu blog torna-nos mais «bairristas» e, por que não, mais orgulhosos já que certos órgãos da comunicação social teimam em apenas exibir/evidenciar a parte menos bela, por exemplo uma população cada vez mais envelhecida ou a imagem de localidades isoladas, etc.…
São este tipo de comportamentos e indicadores que nos deixam desmotivados e sem vontade para lutarmos e defendermos o que realmente é nosso.
Que toda a sua dedicação e trabalho sirva de estimulante! Bem-haja!
A. Silva

Li Malheiro disse...

olá.
Então já a "neve" vai nas amendoeiras? essas estão mesmo na terra quente, começa um dos espectáculos mais belos de Trás Os Montes, as amendoeiras em Flor, que rima com a vila que é e que todos os bairrismos são poucos para honrar essa terra bendita que tal beleza e filhos tem para lha louvarem.
foi bom ver estas novidades.
aquele abraço com amizade.
Li Malheiro