31 outubro 2007

Cabral Adão - Síntese Biográfica

Terminei ontem de ler o livro "Paisagens do Norte" de Cabral Adão, escrito em 1954. Não sou muito dado a leituras e ainda menos daquelas de pegar num livro e lê-lo da primeira à última página. Surpreendeu-me o gosto e o prazer que senti ao ler este livro! Por vezes, senti-me a percorrer os caminhos, a falar com as pessoas, a sentir os sons e cheiros de Vila Flor há bastantes décadas atrás. Foi a minha identificação com a escrita, com a forma de sentir as coisas, que me cativou.
Já fui apresentando, aos poucos, alguns excertos. Tenho ainda alguns na "manga", mas aconselho vivamente a leitura do livro na integra. Aqueles que se recordam da Vila Flor doutras décadas, 30, 40, reviverão muita coisa. Os que, como eu, não viveram essas épocas (nem em Vila Flor, nem em outros locais), descobrirão numa escrita simples, apaixonada, de quem presenciou e viveu (e amou) intensamente Vila Flor, pessoas, paisagens, formas de vida, de um a sociedade com outros valores.
Transcrevo a seguir uma Síntese Biográfica, retirada do livro Paisagens do Norte, editado pela Câmara Municipal de Vila Flor, em 1998. A primeira edição foi em 1954.

Luís Cabral Adão nasceu em Vila Flor, Trás-os-Montes, no dia 24 de Junho de 1910, tendo falecido em Almada a 6 de Agosto de 1992. Os restos mortais foram sepultados no cemitério da terra natal, assim se concretizando um anseio que expressamente havia manifestado.
Licenciou-se pela Faculdade de Medicina do Porto, vindo a especializar-se em Estomatologia, múnus que exerceu com aprumo, saber e eficiência em Setúbal, Alcácer do Sal e Almada.
Bem cedo revelou invulgares aptidões para o exercício da literatura de carácter regionalista, sendo de salientar os textos que publicou regularmente, durante muitos anos, no "Jornal de Notícias" do Porto.
Tendo cultivado e engrandecido esse pendor jornalístico, são enumeráveis os escritos que vieram a lume na imprensa regional, evidenciando Cabral Adão raros dons naturais para recriar situações e ambiências numa prosa concisa, límpida e desartificiosa. Muitos destes trabalhos constituíram as linhas de força dos livros entretanto publicados.
Foi um dos fundadores da Arcádia da Fonte do Anjo, a que presidiu e onde se salientou como principal impulsionador dessa agremiação literária que havia de disseminar a sublimidade do fenómeno poético entre as gentes do espaço circundante da "Cidade do Rio Azul".

Bibliografia:
Flores do Rio Azul - Prosa - 1953
Paisagens do Norte - Prosa - 1954
As Flores do Arrozal - Opúsculo - 1955
Meu Liceu, Minha Saudade - Versos - 1948 e 1978
Gineceu - Versos - 1958
Panorâmica, Setúbal - Versos - 1958
Vila Flor - Versos - 1966
Plectro a Jesus - Versos - 1971
O Homem da Terra - Prosa - 1986

Nota: a fotografia foi tirada a 24 de Maio de 1986, quando Luís Cabral Adão se preparava para discursar, nas cerimónias da comemoração do 7.º Centenário do Foral de Vila Flor concedido por D. Dinis em 24 de Maio de 1286.

Referências a Cabral Adão já publicadas no Blogue:
A Menina das Cravelinas e Bem-Me-Queres
Trovoada
Carícia Real

9 comentários:

Esmeralda disse...

Olá
OBRIGADA Aníbal por este trabalho todo de recolha;
O meu humilde Obrigada a quem deixou uma Obra - que nos transporta para várias realidades de um viver e sentir transmontanos.
Um beijinho, família Gonçalves.
Esmeralda

Esmeralda disse...

...Ah!!! Façam o favor de ouvir os novos temas do transmontano Roberto Leal. Ontem, na SIC, ouvi e, gostei. Gostei mesmo!!!
Abraço
Esmeralda

Fatima disse...

Oh Aníbal! Nós já nos vimos há muitos anos, em Vila Flor, na Câmara Municipal, pela ocasião da Homenagem feita ao Meu PAI!!Sou a Maria de Fátima Cabral Adão, filha mais velha do Dr. Luis Cabral Adão!
Dei por acaso com este seu blog! Bem Haja Aníbal por tratar com tanto carinho a sua Terra e a obra do meu Pai!! Arrancou ~me lágrimas a rodos...por ver o Meu Pai a ser lembrado...pela ternura que tanto me comoveu de um Vilaflorense, tão jovem com uma alma grande como o mundo! Obrigada Aníbal , pela minha parte!Gostaria muito de entrar em contacto consigo! Vivo em Setúbal E teria um gosto infinito de o receber aqui na terra que também Ele tanto e tão bem cantou! E irmos juntos até à Lápide incrustada numa rocha sobre o Mar...o Rio Azul , Com um pequeno poema de meu Pai!
Gostaria de deixar o meu contacto telefonico, mas não sei se este meio será o mais apropriado..
Fica com o meu email e um MUITO OBRIGADA!!!!!!!!!!!!!!! Do fundo do coração!!!
Um abraço de muito apreço
Maria de Fátima

Xo_oX disse...

Maria de Fátima, fico muito satisfeito que lhe tenha despertado emoções, acredito, talvez o mês de Junho fosse um mês especial, mas é de emoções que tem tratado este blog. Às veses penso: não estarei a ser lamechas? Aí lembro lembro-me "Eu vou muito atrasado na idade. Até quase aos 50 fui criança" e dou asas à imaginação, solto o freio e lá vou eu com os sentidos todos alvoroçados.
Quando comecei esta minha aventura a que chamei À Descoberta, a poesia não estava nos meus planos, mas era poesia que eu via. Os livros tocaram os meus dedos e eu agarrei-os. Que tesouro magnífico esta vila tem e que muitos desconhecem! Assim juntei a beleza dos versos, ao colorido das flores e à eternidade das rochas e saiu um caldo, este blog, que às vezes atinge os sentimentos de pessoas sensíveis.
Continuarei eu mesmo À Descoberta dessas pérolas fechadas nos livros, por pessoas como nós, que sentiam mas escreviam, também como forma de libertação à espera que a sua escrita fosse lida:
"Quisera espalhar à minha volta
A ventura a paz, o dar-de-mim
Para apasiguar toda a revolta,
Para à guerra dos outros pôr um fim".
Sou pouco dado a viagem à costa, as multidões fazem-me mal. Será que não vem de vez em quando a Vila Flor?
Estou a escrever aqui porque, não sei se por esquecimento, acabou por não deixar o seu endereço de email.
o meu é: canarius@sapo.pt
Cumprimentos e admiração, pelo pai que teve
Aníbal

Aida Maria disse...

Olá Aníbal! Deixe-me tratá-lo assim. Depois de minha querida Irmã Fátima ter deixado um comentário no seu Blog a propósito de meu querido Pai, Dr. Luís Cabral Adão, aqui estou eu, a filha mais nova Aida, a agradecer-lhe comovidamente tudo o que sobre ele escreveu. Ele era de facto um Vila-Florense convicto que amava muito a sua Terra e tanto assim foi que quando a sua Alma partiu em direcção à Luz, foi em Vila Flor que quiz que seu corpo repousasse para sempre. Tenho ainda guardadas na minha memória gratas recordações de pedaços da minha infância passados nessa linda Terra! Quando ao Aníbal ser "lamechas" continue sendo,pois este "Mundo imundo" está cada vez mais necessitado de "lamechas" ou seja gente que ame a Natureza, sinta a vida de uma forma poética, seja generoso para com os outros.... tudo enfim que dá sentido e nobreza a esta passagem a que chamamos Vida.
Bem haja! Com os meus cordiais cumprimentos e votos de muitas felicidades,
Aida Maria Cabral Adão Monteiro Diniz

Xo_oX disse...

"Foi dia da primeira comunhão
Da Aida, a minha filha mais novinha.
Que linda que ela ia! Que visão!
Que graça o seu vestido branco tinha!"

Obrigado por todas as palavras simpáticas e encorajadoras. Já publiquei alguns poemas de seu pai, mas também gosto da prosa de "Paisagens do Norte", que é a única que li até ao momento. Marcou-me tanto, que dei comigo a ler algumas passagens, em voz alta, para a família. Há um carinho, uma graça, uma fórmula simples de dizer, que cativa, liberta, purifica. De futuro colocarei mais excertos, mas têm que fazer sentido, casar com as fotografias, com as estações e com os estados de espírito.
É com prazer que o faço.
Espero que este Blog possa servir de ligação, ainda que ténue, entre "A Menina das Cravelinas e Bem-Me-Queres" e a "pomba sem mácula" que cresceu e voou para longe...

Aida Maria disse...

O Aníbal não pára de me surpreender!!!! Até sabe o soneto que meu Pai me dedicou quando eu fiz a Primeira Comunnhão!!! Espantoso! Até sabe que a "pomba sem mácula", na altura com 14 anos, voou para longe! Como crente que sou, espero que meu Pai esteja partilhando de todas estas minhas emoções!!! E que feliz ele deve estar, por saber que passados tantos anos após a sua partida, há um conterrâneo seu que o admira, divulga e pelos vistos conhece a obra toda dele. Até já pesquisei versos dele no seu blog que eu própria (devo confessar) desconhecia, ou quiçá, já não me lembrava! É o caso de uns que vou adaptar a umas belíssimas fotos de sua autoria.
Os meus mais sinceros votos de muitas felicidades,
Aida Maria

Aninhas disse...

Olá Senhor Aníbal!
Depois das minhas tias, Fátima e Aida, terem comentado o seu blog, venho eu uma das netas do Dr. Luis Cabral Adão, deixar o meu testemunho... a minha admiração e o meu grande orgulho neste homem que me tocou na alma muitas e muitas vezes...
Poderei dizer que as melhores prendas que recebi em criança foi o seu livro de versos: Génesis, que as minhas tias tão bem se recordam.
Era muito pequena, mas nem assim fiquei indiferente áqueles pedaços de papel escritos com toda a sua sabedoria... com todo o seu encanto.
Quando partiu, foi uma grande perda para todos que o amavam... infelizmente era muito nova para presenciar o seu ultimo Adeus, mas foi me dificil aceitar que não poderia lá estar...para vê-lo uma ultima vêz. Onde quer que ele esteja sei que estará sempre a olhar por nós... Sei que ele era um Homem generoso inteligente e dotado de toda uma sabedoria incomparável! Fico muito orgulhosa por saber, que existem pessoas que admiram o seu trabalho e o transmitem aos leitores e amantes de literatura :)
O meu obrigada
Neta: Ana Cabral Adão

Eladia disse...

Sou filha de um portugues nascido em Vila Flor,estou viajando pela 1ª vez para conhecer esta terra, mas, gostaria muito de adquirir o livro Paisagem do Norte de Cabral Adão. Onde posso compra-lo? por favor me responda! egbarboza@uol.com.br. (Eládia)