29 abril 2007

Feira Medieval em Vila Flor


Teve hoje lugar no Largo Pe. António José de Morais, uma Feira Medieval, organizada pelo Grupo de Escuteiros de Vila Flor (Agrupamento 1055 - S. Bartolomeu).
Com a maior parte dos “feirantes” trajando a rigor, o ambiente que se viveu logo a seguir à missa dominical, retratava quase na perfeição uma feira de há muitos anos atrás.
De um lado estavam os artesãos, alguns deles trabalhando ao vivo (cestaria e tanoaria) logo depois dos currais de animais (ovelha e vitela). Seguiam-se flores e plantas de jardim, recipientes em barro, latoaria e um pintor a óleo (Vítor Carneiro), ao vivo, que mostrava também um conjunto de aguarelas sobre Vila Flor.
Do outro lado, vendiam-se artigos em madeira (piões, maços, bancos e rolos da massa), os chás (com as indicações pormenorizadas da posologia!), doces, compotas e licores e queijos (frescos, curados ou apimentados). Seguia-se a barraquinha com pão e bolos diversos, cozidos de forma tradicional e muito bem apresentados. Na barraquinha seguinte podiam-se comprar alguns produtos hortícolas do concelho: alho francês, couve, alface, laranja, limão, tomate, feijão verde e algumas variedades de cogumelos.
Seguia-se uma das barracas mais importantes na feira, aquela onde se preparava o almoço. A água já fervia em grandes panelas de ferro numa fogueira que dava um ambiente especial. As grelhas aqueciam, enquanto esperavam por frescos pedaços de carne entremeada e barriga, que seria servida ao almoço, com a sopa de feijão.
Em frente à igreja montou praça o circo. Malabarismos, magia, balões e um sem número de ilusões, fizeram os mais novos abrir os olhos desmedidamente.
Completava o círculo mais uma barraquinha com produtos da terra: feijão (de muitos tamanhos e cores), trigo, grão-de-bico, milho, tremoços e também ovos.
Ao centro, no soco quadrangular do pelourinho, duas simpatias jovens vendiam colares feitos com artefactos em barro.
Num cantinho mais recolhido, perto da fogueira onde se preparava o almoço, uma tasquinha decorada com loureiro, com os tradicionais pipas e taças de barro, servia o melhor licor da terra, o vinho.

1 comentário:

Esmeralda disse...

Olá!
Li com agrado esta descrição da feira medieval que, pelos vistos, estava muito bem organizada e recheada. Independentemente da hora a que escrevo e de algumas gorduras extras a somar, uma feverinha no pão, já ia...ai não que não ia...
Força Vila Flor. É bom saber de ti...
Abraço
EL